Pesquise artigos do blog:

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Agostinho: o propósito das Escrituras é ver a Cristo

escrituras-agostinho

Inspirada por Deus através dos seres humanos

Deus se revelou a nós nas palavras da Escritura, que são as palavras de mortais inspirados por Deus: “Todas essas questões poderiam ter sido feitas por meio de anjos, mas a condição humana teria sido degradada se Deus não demonstrasse interesse em ministrar Suas próprias palavras ao seres humanos através de seres humanos “(A Doutrina Cristã[1]).

A Palavra em Carne

O centro da doutrina de Agostinho sobre as Escrituras é a Palavra encarnada. Agostinho define a sua teologia das Escrituras dentro do espectro mais amplo da teologia da salvação: “Para nos esclarecer e capacitar, toda dispensação temporal foi estabelecida para a nossa salvação.” Agostinho tinha insistido que o ministério da Escritura é ajustado à condição humana: “Observe como a própria Verdade e a Palavra, pela qual todas as coisas foram feitas, se fizeram carne para que pudesse viver entre nós, o apóstolo diz: ‘ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo’.” A doutrina da Escritura de Agostinho é determinada pela sua contemplação por décadas da Palavra eterna de Deus, encarnada na história da humanidade, assumindo a humildade da condição humana, e sendo ao mesmo tempo o nosso Caminho, nossa Verdade e nossa Vida.

Interligados

O Verbo encarnado e as palavras das Escrituras são devidamente condicionados a nossa existência humana limitada pelo tempo e, assim, unem o ministério do Verbo encarnado e do ministério das palavras das Escrituras. Assim, a autoridade das Escrituras está integralmente ligada com o ministério da Escritura, que por sua vez está ligada ao ministério do Verbo Encarnado. Em sua reflexão sobre o Salmo 99, Agostinho escreve: “Nosso propósito quando ouvimos os Salmos, os profetas e a Lei é ver Cristo lá, entender Cristo lá.”

Interpretando a si mesmo

Em seu estudo de Agostinho como um intérprete bíblico, Charles Kannengiesser observa: “Ao analisar o lugar de Agostinho na longa linha dos intérpretes bíblicos, deve-se notar que a Bíblia ajudou Agostinho a interpretar a si mesmo, tanto quanto ele se tornou um intérprete da Bíblia” (Manual Historical Handbook of Major Biblical Interpreters

Via:Tempo de Colheita

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...