Pesquise artigos do blog:

terça-feira, 24 de abril de 2012

A pedofilia no cristian-(ismo)





 By Ivani Medina


De quanto tempo mais a religião precisa para provar às sociedades a sua importância no seio delas? Passados praticamente dois mil anos, no que se refere ao cristianismo, muita gente ainda não está convencida de tal importância pelos seus resultados. Alegar-se que a maioria dos ocidentais é cristã significa quase nada, senão a eficiência de uma propaganda na qual não faltou crueldade. Foi por intermédio dela que o cristianismo, no afã de dominar o mundo, tornou-se oficial e legal aos olhos e sentimento dessa maioria.

No entanto, do mesmo modo como foi uma minoria a elaborá-lo e a implantá-lo no mundo, uma minoria está a contestá-lo com argumentos de peso aos ouvidos surdos de uma maioria ainda obediente ao estabelecido. Porem, as gerações se renovam. Mesmo antes da possibilidade de renovação, já se pôde perceber as primeiras manifestações organizadamente declaradas em contrário, partidas da Europa, local da sua própria difusão, que ecoaram pelo mundo. Aqui no Brasil, a despeito do progresso religioso oportunista, já se percebe na Internet comunidades “exvangélicas”. As críticas também estão partindo de insatisfeitos do lado de lá. O povo brasileiro começa a perceber que a religião é muito boa para seus dirigentes. O povo continua na mesma...

Prendo-me a análise exclusiva do cristianismo, porque me dedico ao seu estudo como um fenômeno histórico as mesmas conclusões podem ser levadas ao islamismo, até por terem a mesma origem heleno-judaica porque fomos criados e educados sob seus conceitos e pretendemos mudá-los para que a nossa realidade mude. Confesso-me impressionado com a debandada de teólogos do lado cristão. Jamais imaginei vivenciar essa época. Claro que se o assunto chegar aos telejornais no horário nobre, com ex-padres e ex-pastores justificando suas decisões, no dia seguinte a notícia seria o final do cristianismo. Coisa que o sistema não vai permitir tão facilmente.

É incrível, mas os crentes menos conscientes de si mesmos não refletem sobre o significado sociocultural de termos como “papa”, “padre” e “pastor”. Trata-se da interdição mental do cidadão como um indivíduo que deveria estar em pleno gozo dos direitos e obrigações para com as próprias faculdades, tanto no pessoal quanto no coletivo. Um ser adulto, por fim. A religião é inimiga do ser adulto, pois é pedófila por natureza.







Um comentário:

Prof. Alex disse...

Irônico que muitos cristãos concordariam com sua análise, porém optariam por seguir ou tentar erigir o "verdadeiro" cristianismo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...