Pesquise artigos do blog:

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Segundo capítulo do livro Vinde Bendito





1º Princípio da dignidade da pessoa humana.

Diz o livro de Gênesis que no início Deus criou o universo e destinou tudo em função do homem e da mulher.
A palavra diz que depois de criado tudo Deus então fez o homem e a mulher imagem e semelhança a Ele. Deus deu a ordem ao homem e a mulher que dominasse e submetesse a terra. Toda criação estaria a serviço da pessoa humana como bem mais sagrado. O Universo foi criado por Deus e conspira a todo o momento em favor da humanidade.
 O universo está a disposição, basta o homem tomar a decisão certa e não desrespeitar a vida.
No centro do jardim está a árvore da vida e a árvore da ciência do bem e do mal.
Deus ordenou ao homem que não comesse o fruto da árvore da ciência do bem e do mal. Se comessem experimentariam a morte.
        O homem e a mulher desobedeceram e ao invés de optar pela árvore da vida, comeram do fruto da árvore da ciência do bem e do mal e com isto trouxeram a morte.
  O homem descobriu sua nudez, ao ouvir os passos de Deus que todo final da tarde vinha ao seu encontro se escondeu. Deus faz a pergunta que até hoje não quer calar: “Onde estás?”. Lamentavelmente estamos muitas vezes preocupados com muitas coisas, porém esquecemos do mais importante: a vida humana!!!!
O pecado de Adão e Eva foi um pecado individual que afetou socialmente todos nós. Por isso a Igreja nos convida a uma conversão individual e social.
Nunca necessitamos tanto de uma mudança de mentalidade. O documento de Medellín diz que tanto a mudança estrutural como a mudança de mentalidade deve caminhar junta: “Não teremos um continente novo sem novas e renovadas estruturas....não haverá continente novo sem homens novos” (Méd. 1.3)  
O homem novo é livre e esta liberdade se alcança somente com libertação integral. Como disse Jesus: “vida e vida em abundância”. Liberdade que implica em dispor de nós mesmos para construir uma comunhão e participação em três realidades distintas e inseparáveis: a relação do homem com o mundo como senhor, com as pessoas como irmão e com Deus como filho.
Os direitos do homem são os da pessoa: imagem e semelhança de Deus. Todo que atenta contra a vida humana e sua dignidade deve ser denunciado e condenado.
Temos que nos libertar do pecado que destrói a vida divina do homem que é a dignidade humana, pois somos filhos de Deus; é o maior dano que uma pessoa pode causar a si mesmo e aos demais.
Jesus Cristo resgatou-nos a dignidade original que os homens tinham recebido ao serem criados por Deus à sua imagem.
Em Cristo e Maria o homem e a mulher devem revalorizar-se sendo todos fundamentalmente iguais membros da mesma estirpe, apesar das diversidades de sexos, de línguas, de culturas e de formas de religiosidade. Devemos nos amar e respeitar se deseja realmente uma sociedade digna de viver.
Para a Doutrina Social da Igreja a pessoa humana representa o fim último da sociedade.
“Só se pode conseguir a justiça social no respeito à dignidade transcendente do homem. A pessoa representa o fim último da sociedade, que por sua vez lhe está ordenada”.
Para Igreja a defesa e promoção da dignidade é uma questão de obrigação dos cristãos.
“A defesa e a promoção da dignidade da pessoa humana nos foram confiados pelo Criador. Em todas as circunstâncias da história os homens e as mulheres são rigorosamente responsáveis e obrigados a esse dever” (SRS 47)
O Papa João Paulo II disse:
“A pessoa é o primeiro caminho, e o caminho fundamental da Igreja” (João Paulo II – Encíclica Redemptor Hominis, nº 14).

Gilberto Ângelo Begiato

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...