Pesquise artigos do blog:

terça-feira, 2 de outubro de 2012

O Medievalismo na mentalidade contemporânea




A situação do preconceito no Brasil e no mundo afora atinge níveis alarmantes, mas isso não é exclusivo da atualidade, é algo imanente na sociedade. Os maiores dos preconceituosos praticam as mais fabulosas artimanhas para mascarar suas más intenções, essas pessoas são ultrapassadas e acreditam que existem verdadeiros valores morais em fazer de tudo para atingir e denegrir diversos grupos, como se criticar as diferenças alheias, fizesse delas pessoas mais íntegras. Um nome mais do que plausível para essas pessoas seria uma relação com a época à qual pertence sua visão de mundo, uma visão ultraconservadora que não abre a mente para os conceitos desenvolvidos durante os séculos que nos separam dessa época. Eles são os  Medievos.

É necessária a definição dessa Classe Medieva, para que não ocorram enganos quanto a quais as pessoas que pertencem a ela. Logo, podemos citar alguns detalhes:

  • Racismo. Hoje em dia normalmente mascarado de humor, ainda mais com a justificativa de que no humor negro tudo pode, da liberdade de expressão, tão facilmente utilizada a fins que, pelos desejos de quem grita por ela, seriam opostos à mesma.

  • Extremo conservadorismo. Tanto de Direita quanto da Esquerda também, normalmente pessoas pseudointelectuais que não sabem nada do que defendem, seguem as massas, mas na hora de defender ideais individuais, demonstram o quão preconceituosas elas são, normalmente contra mais do que um grupo étnico, por origem geográfica ou contra os homossexuais.

  • Falha argumentativa em ideais que eles dizem seguir. Os ideais podem até mesmo ser normalmente considerados dignos, ao menos por muitas camadas populares, mas no caso dos motivos e da defesa deles pelos medievos, qualquer ideal se estraga, até mesmo quem defende esses ideais sente vergonha do que está sendo dito em defesa deles, por pessoas da classe medieva.

Os medievos tem muito medo, isso é algo que costuma levar a todas as características negativas desse grupo social seleto, medo e egoísmo. Eles tem medo do diferente, do diverso, e são extremamente ignorantes nesse ponto, até mesmo aos benefícios que chegam com a diversidade, pois seus interesses são ególatras. Estamos falando de heterossexuais com medo de homossexuais, estamos falando de homossexuais com medo de heterossexuais. Estamos falando de esquerdistas com medo da Direita, e direitistas com medo da Esquerda. Estamos falando de insultos baratos e gratuitos dos dois lados e, para completar, a falta de argumentos sólidos para defender um ponto de vista, como dito no item três.

Então, repetindo, eles tem medo dos homossexuais, acreditando que eles podem “infectar” suas famílias. Bom, vamos ser racionais. Se um membro de uma família virou gay, embora isso não me pareça nada negativo, a culpa, dentre outros possíveis motivos, costuma ser da própria forma de ensinar dos pais. Seja da forma como o pai o educou (ou não o educou), seja das suas tentativas de “forçar a barra” (efeito oposto, aquele pai que tenta demais fazer com que o filho seja “macho”, o expõe a situações que acabam sendo a influencia oposta). Claro que, dentre os outros possíveis motivos, como antes foi falado, temos fatores que não tem relação direta com a educação recebida em casa, mas mesmo assim, eles morrem de medo.

Os medievos também morrem de medo, ironicamente, dos migrantes. Digo, aqui em São Paulo, por exemplo, os medievos locais sofrem de pavor dos nordestinos, pois temem que esses irão tomar seus empregos, ameaçando seu sagrado modo de vida nobre. O que é engraçado, pois os nordestinos vem sendo fazem mais décadas o motor da produtividade da Capital do Estado de SP e, digo de forma infeliz, são eles que fazem alguns dos trabalhos mais duros que um ser humano acaba precisando aguentar na sociedade atual. Logo, os medievos tem essa outra característica de, em face aos próprios preconceitos, temer e odiar pessoas que contribuem com o seu próprio modo de vida.

Outra característica notável deles é a constante afirmação de que, apesar de tudo isso, eles não são nem preconceituosos, nem racistas, nem homofóbicos…

“Ora, eu tenho vários amigos negros e gays!”

É algo comum de se ouvir. No máximo, estão apenas fazendo piadas… E claro, insultando os grupos que se revoltam com essas piadas e se ofendem com elas, pois como antes dito, os medievos gritam por liberdade (ou eu deveria dizer libertinagem?) de expressão, para que possam expor seus pensamentos irracionais acerca de todos aqueles que eles odeiam e tem medo.

Eles utilizam um conceito conhecido, no qual eles imprimem seu ódio: O humor negro. Aproveitam portanto que já existe um contexto perfeito para inserir, ao lado de quem ri da miséria e desgraça alheia, a possibilidade de rir também da cor da pele e história social de uma certa classe, ou quem consegue expressar seu ódio por meio de piadas extremamente depreciativas sobre as preferências sexuais de um grupo pessoas. Não que o humor negro em si esteja aqui em um julgamento Ético, o ser humano, do jeito que é, busca prazer até mesmo por meios duvidosos e um tanto sombrios. Mas é necessário refletir até onde estamos falando de busca por prazer, e onde isso se torna de fato depreciativo e até perigoso para outros grupos sociais e de diferentes orientações sexuais. Até onde estamos rindo de um determinado tipo de indivíduo, e até onde isso se torna perigoso para indivíduos dessa determinada sorte.

Não se engane, porém, com a aparente generalização que está sendo feita, pois ela tem limites que devem ficar claros. Não é qualquer um que faz uma piada considerada racista, ou insulta o outro de “viado”, que faz parte da “Classe Medieva”. Existem fatores, tanto os já descritos como os limites a seguir, que devem esclarecer um pouco melhor o tipo de gente de que estamos falando. Pessoas são imperfeitas e não devem ser julgadas por isso ou chamadas de hipócritas. Pessoalmente eu diria que vale a pena refletir sobre os próprios atos e, com base na avaliação negativa de certos deles, se esforçar para deixar de fazê-los. Mas chega um ponto em que isso pode nos fazer tentar fugir da realidade humana, eu não julgaria os outros por aterem-se ao que eles são.

O fato é que os valores medievos são razoavelmente intrínsecos nos valores comuns da sociedade, eles se tornaram parte do dia a dia de muitas pessoas, desde as que não tem interesse algum em propagarem preconceitos, até as que deixam escapar um hábito desrespeitoso de vez em quando, ou seja, uma ou outra piada racista, um insulto ou brincadeira chamando o outro de homossexual, são raras as exceções. Não são medievos todos esses casos, aliás, nem mesmo se consideram esses fatores como primordiais para considerar a classe medieva. Quando falamos dos medievos, estamos na verdade falando daquelas pessoas cujas intenções, ao fazer uma piada ou insultar uma pessoa, ficam bem claras. Uma pessoa cujos ideais são todos formados ao redor desse racismo, preconceito, homofobia, mesmo que mascarada de humor e de “proteção à integridade da família”. Essas pessoas podem até mesmo tentar justificar esse tipo de comportamento com pseudo teorias científicas do passado (como o darwinismo social, por exemplo, da Alemanha nazista), é por isso que podemos agregar, ao conceito que reúne os Medievos, nas sábias palavras da doutora Marilena Chauí, um perigoso caráter proto fascista.

Alguns exemplos dos ideais e argumentos medievos são muito fáceis de dar. Eles são contra as cotas raciais, e não é por justificativa de que talvez uma outra opção possa ser mais produtiva para o país, ou que eles pensam em outra forma de abordar o problema, não. Eles são contra as cotas pois “vagabundo tem que trabalhar, não pago imposto para sustentar pobre”.

Eles são contra o movimento pela defesa dos direitos dos homossexuais e praticamente todas as ações que partem dele, e não é por acharem certas medidas muito drásticas, certas opiniões muito extremas, não. É por considerarem os homossexuais “abomináveis”, pois eles são “aberrações da natureza e aos olhos de Deus”, eu me pergunto o quão bem eles conhecem as leis naturais, e o quão bem eles conhecem Deus, para poderem afirmar tais coisas, mas a resposta é simples: Eles não conhecem, mas apelam para esses argumentos por conta do extremo pavor que sentem dessas pessoas, desses comportamentos pessoais.

Os medievos existem, eles defendem seus ideais como se fossem absolutamente legítimos e, quanto mais ignorantes eles são do mundo e de sua própria natureza irracional, mais certos de seus ideais irracionais eles estão. Eles estão entre nós, com suas mentalidades medievais, defendendo a regressão da cultura da nossa Sociedade.

2 comentários:

Anderson Luiz de Souza disse...

Octavio, excelente texto!

Eu apenas gostaria de dizer que não vejo que uma pessoa "vire" gay e isto para mim, nada tem a ver com a educação que recebe em casa, pois, numa família de 4 irmãos, por exemplo, se apenas um for homossexual, seria porque ele recebeu dos pais uma educação diferente de seus irmãos? De forma alguma! Isto é inerente, não se escolhe, é gay porque nasceu gay.

Abraços Mano!

Seja bem vindo!!!

Anderson

Octavio disse...

Olá Anderson,

Não acho que isso seja uma exclusividade, mas dados os fatores que observamos nas sociedades, acho que posso dizer que isso ocorre.

Note quando digo: "Claro que, dentre os outros possíveis motivos, como antes foi falado, temos fatores que não tem relação direta com a educação recebida em casa, mas mesmo assim, eles morrem de medo."

Existem muitas teorias sobre quais os fatores que levam alguém a ser homossexual, desde teorias científicas sobre genética (das quais eu diria, se forem reais, que mesmo uma pessoa com "genética homossexual" pode não se tornar homossexual, e uma pessoa com "genética heterossexual" pode se tornar homossexual).

Creio que os motivos que levam à homossexualidade são muitos, e que como sabemos, existem diversos tipos de homossexualidade. Desde a simples afinidade pelo mesmo gênero até a total inversão de comportamentos.

Logo, portanto, estou me referindo ao que eu julgo ser um, dentre muitos, fatores que podem levar à homossexualidade.

Obrigado,
Abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...